Pesquisa
CUPRA Born: 'eléctrico' com raça

Foi primeiro baptizado como El-Born, em homenagem a um conhecido bairro de Barcelona, e estava previsto para ser mais um modelo da Seat.

Acabou por chamar-se CUPRA Born, e é o primeiro modelo 100% eléctrico da marca espanhola. 

São evidentes as semelhanças com o ID.3 da Volkwagen sem qualquer surpresa: ambos são construídos sobre a plataforma MEB do grupo alemão. 

Com 4.322 mm de comprimento e 1.809 mm de largura, é 60 mm mais comprido do que o seu "irmão". 

A altura reduziu-se em 30 mm, para 1.537 mm, colando-o mais ao solo, com a distância entre eixos a situar-se nos 2.767 mm. 

Apelo aos sentidos 

E, no entanto, visualmente o CUPRA Born tem umas linhas muito mais emocionais do que o ID.3, num verdadeiro apelo aos sentidos. 

A frente é muito mais nítida, com os faróis full LED mais afilados a darem-lhe uma estética claramente intimidante.

Essa ideia é reforçada pela grande entrada de ar inferior, contornada por uma moldura em tom acobreado, a torná-lo quase num hot hatchback

De lado, destacam-se as jantes em liga leve de 20 polegadas, que de série são de 18, podendo comportar ainda um jogo de 19 polegadas. 

A traseira "casa" com as soluções adoptadas nos CUPRA León e Formentor, com uma faixa luminosa a ligar os farolins também full LED, e um difusor proeminente. 

Interior ao estilo CUPRA 

O carácter agressivo do CUPRA Born prossegue no interior, com os bancos em forma de bacquet, produzidos com plásticos reciclados recolhidos do mar. 

As diferenças em relação ao Volkswagen ID.3 continuam nos detalhes em cobre, rematado com a cor azul nos frisos, tejadilhos e painéis das portas. 

Sim, a atmosfera a bordo é inequivocamente mais desportiva, como acontece nos León e Formentor. 

Ao centro do tabliê, revestido com material sintético de alta qualidade, há um ecrã táctil flutuante de infoentretenimento de 12 polegadas. 

A ele está associado um painel de instrumentos digital compacto, com visor head-up de realidade aumentada, e um volante de três raios, em tudo idêntico aos dos modelos da marca. 

A conectividade é assegurada pela aplicação My CUPRA para a gestão dos vários sistemas, com assistente de voz, e pelo dispositivo Full Link sem fios, compatível com Apple CarPlay e Android Auto

Entre os sistemas de segurança e apoio à condução, contam-se o cruise control activo. 

Associado ao alerta de saída involuntária de via e ao assistente lateral, é possível uma condução semi-autónoma, mesmo a alta velocidade. 

Leitura de sinais de trânsito, alerta de pré-colisão com travagem de emergência e reconhecimento de peões e ciclistas fazem também parte do conjunto. 

Três baterias para três potências 

A gama será constituída por variantes eléctricas de 110 kW (150 cv), 150 kW (204 cv) e 170 kW (231 cv), com o binário de 310 Nm a manter-se nas três potências. 

A alimentar o motor eléctrico estão baterias com capacidades de 45, 58 e 77 kWh. 

A primeira bateria, associada à versão menos potente, assegura uma autonomia de 350 quilómetros e acelerações em 8,9 segundos dos zero aos 100 km/hora. 

A bateria intermédia, para a variante de 150 kW, oferece até 425 quilómetros de autonomia, com a velocidade até aos 100 km/hora a fazer-se em 7,3 segundos. 

E depois, ao contrário do Volkswagen ID.3, o CUPRA Born entra em território exclusivo. Com o pacote e-Boost, o hatchback ganha mais 20 kW de potência, saltando para os 231 cv. 

Com a bateria de 58 kWh, a autonomia ficará pelos 420 quilómetros, mas com a de 77 kWh, essa distância sobe para os 545 quilómetros. 

As acelerações dos zero aos 100 km/hora serão também mais rápidas, com o primeiro a fazê-lo em 6,6 segundos, e o segundo a demorar mais quatro décimas de segundo. 

Os carregamentos das baterias podem ser feitos até 125 kW, sem a CUPRA detalhar os tempos para cada uma delas. 

No entanto, em carga rápida admite uma autonomia de 100 quilómetros em sete minutos, com o carregamento de cinco a 80% a fazer-se em 35 minutos. 

Chassis com afinações específicas 

Sem ser ainda possível de confirmar, os técnicos da CUPRA asseguram que o visual agressivo do Born terá correspondência no seu comportamento em estrada. 

O controlo dinâmico do chassis terá uma configuração específica, com a altura a ser mais baixa em 20 mm no eixo dianteiro e em 15 mm no traseiro em relação ao Volkswagen ID.3. 

Terá ainda uma suspensão adaptativa com diversas afinações, direcção progressiva e uma função ESC Sport para o controlo de estabilidade. 

Os modos de condução são quatro – Range, Comfort, Individual e CUPRA –, sendo o último a libertar toda a potência disponível do motor eléctrico. 

O CUPRA Born será produzido na fábrica alemã de Zwickau, onde também é montado o Volkswagen ID.3, com as primeiras unidades a saírem em Setembro da linha de montagem. 

Desconhece-se quando o hatchback eléctrico chegará aos concessionários, sabendo-se apenas que só para o ano chegará a variante mais potente. 

Já segue o Aquela Máquina no Instagram?

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.