Pesquisa
Tome Nota

Recorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda Monkey

21:20 - 15-03-2020
 
Recorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda Monkey
Recorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda MonkeyRecorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda Monkey
Recorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda Monkey

André Sousa alimenta o sonho há vários anos: fazer o recorde mundial da viagem mais longa de sempre em minimoto.

Na aventura que irá começar a 29 de Março, com partida na vila de Aviz, irá montar uma Honda Monkey actualizada a partir do modelo original de 1970, equipada com um motor de 9 cv e 125 cc de cilindrada.

Recorde a bater: volta ao Mundo em cima de uma Honda Monkey

"Não há qualquer registo oficial de que alguém tenha alguma vez tentado isso", declarou à Lusa, no final do ano passado, o jovem de 24 anos formado em Gestão de Empresas.

Natural de Oliveira de Azeméis, André Sousa propõe-se percorrer, nos próximos dois anos, mais de 60 mil quilómetros em 50 países de seis continentes, sempre agarrado ao guiador da Honda Monkey.

Uma festa de angariação de fundos está já preparada para esse fim-de-semana, antes de meter-se à estrada, apoiada pelo município do Alto Alentejo e pelo grupo Motards d’Aviz, entre outras entidades.

Demonstrações de supermotos e minimotards, e animação musical marcam o dia de sábado. No domingo, será um passeio de 40 quilómetros para dar a conhecer o concelho, seguido do desfile da minimoto Honda Monkey 125, que antecede a partida para a grande aventura.

Ainda de acordo com a entrevista dada à Lusa no ano passado, a Monkey foi cedida a André Sousa pela própria Honda, garantindo assistência oficial ao longo de todo o percurso.

"Como ainda estou a angariar patrocínios, os 60 mil euros são o custo mínimo da viagem, já a contar que haja quem me ofereça estadia e alimentação por onde for passando", explicou o motociclista.

Outra adaptação indispensável foi a instalação de dois reservatórios para aumentar a autonomia da Honda Monkey. Como o depósito original leva apenas cinco litros de gasolina para cerca de 200 quilómetros, foi necessário instalar mais dois ‘jerrycans’ com cinco litros extra de combustível em cada lado.

Nascido em Dezembro de 1995, André Sousa começou a conduzir motos com oito anos; aos 14, já competia a título desportivo. Em 2013 ficou em quarto lugar no Campeonato Nacional de Velocidade em 125 cc e, em 2014, foi vice-campeão por equipas no campeonato de 600 cc.

Há dois anos, quando estagiou no Brasil após se ter formado a nível académica, André Sousa percorreu numa moto citadina os 11 países da América do Sul.

Foram 24.225 quilómetros em quatro meses numa Honda 125, com o recorde a ser formalmente reconhecido pelo International Book of Records.

Já segue o Aquela Máquina no Instagram?

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.