Pesquisa
Tome Nota

Nissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade Inteligente

21:23 - 18-05-2022
 
Nissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade InteligenteNissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade InteligenteNissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade InteligenteNissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade Inteligente
Nissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade InteligenteNissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade InteligenteNissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade InteligenteNissan discutiu evolução eléctrica no Fórum da Mobilidade Inteligente

Portugal foi, em 2010, o primeiro país europeu e um dos três a nível mundial, a par do Japão e dos Estados Unidos, a lançar o Nissan Leaf, primeiro modelo 100% eléctrico de produção em massa a nível global.

Passados estes 12 anos, a Nissan levou a cabo a sexta edição do Fórum para a Mobilidade Inteligente, onde foi feito o ponto de situação sobre o avanço da mobilidade eléctrica em Portugal.

Condução Inteligente, Energia Inteligente e Integração Inteligente foram os três painéis em discussão no fórum realizado há uma semana, com 14 oradores nacionais e estrangeiros das mais variadas áreas de actividade.

O acontecimento não se cingiu apenas ao sector automóvel mas também à produção e distribuição de energia, tecnologias de informação, mobilidade multimodal e actividade seguradora.

Antonio Melica, director geral da Nissan Portugal anunciou que é objectivo da marca realizar 75% das vendas europeias em 2026 com versões electrificadas e abandonar totalmente as motorizações exclusivamente térmicas em 2030.

E essa estratégia passa pelo novo Nissan Ariya, assim como pelo Nissan Townstar EV, de maneira a "reforçar a aposta da marca num segmento que tem um potencial enorme de crescimento, os comerciais e, em especial, os dedicados às chamadas entregas de último quilómetro (last mile)".

Antonio Melica relembrou ainda os investimentos já feitos no nosso país no desenvolvimento do ecossistema eléctrico, através da instalação de postos de carga públicos e de sistemas de carregamento nos domicílios.

O presidente do conselho directivo da Associação de Utilizadores de Veículos Eléctricos (UVE) relevou o crescimento do parque automóvel 100% eléctrico ou electrificado.

Os dados apresentados por Henrique Sanchez indicam que são já mais de 100 mil unidades em circulação, com a quota de mercado anual a representar cerca de 20% das vendas totais de automóveis no nosso país.

"A procura é muito maior do que a capacidade de oferta dos construtores" neste momento, sublinha o responsável da UVE, que faz um balanço optimista da realidade da mobilidade eléctrica em Portugal.

Face a esse crescimento, as preocupações viram-se para a sustentabilidade da capacidade da rede eléctrica.

Segundo Alexandre Videira, administrador da Mobi-e, a rede de carregamento para automóveis eléctricos comporta já mais de 2.750 carregadores a que correspondem mais de 5.700 tomadas de carregamento.

Para a actual dimensão do parque português, a potência instalada deveria ser de cerca de 74 MW quando, na realidade, estão já instalados 102,5 MW em 99% dos municípios do país.

Luís Tiago Ferreira, director de inovação em mobilidade e eficiência energética da E-Redes explicou que, até ao final da década, "a nossa expectativa é a rede de carregamento pública atinja os 45 mil, mantendo o rácio de um posto por cada 20 automóveis".

Para Gustavo Barreto, director comercial do grupo Ageas Portugal, "os automóveis eléctricos também colocam desafios às empresas de seguros", o que as levou a criar coberturas específicas para esse segmento de mercado.

Em jeito de conclusão aos temas discutidos no fórum, a mobilidade eléctrica no nosso país está perfeitamente alinhada com a evolução dos principais, e mais rápidos, mercados europeus.

Já segue o Aquela Máquina no Instagram?

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.