Pesquisa
Ensaio
3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre
10:44 - 28-01-2020
 
3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre
3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre3008 Hybrid4: guiámos o Peugeot de produção mais potente de sempre

A Peugeot convidou-nos para uma estadia de dois dias em Sitges, nos arredores de Barcelona, para nos apresentar toda a sua gama electrificada. Depois das versões eléctricas do 208 e 2008, que tivemos oportunidade de conduzir na Comporta e em Provença (França), respectivamente, ficámos a conhecer as versões híbridas plug-in do 508, 508 SW e 3008.

Fomos os primeiros a guiar estas novas versões híbridas, que chegam ao mercado português entre Fevereiro e Março. A urgência em contar com este tipo de propostas é enorme, já que a partir do dia 1 de Janeiro deste ano a média de emissões dos automóveis vendidos terá que ser inferior a 95 g/km. Quem não cumprir terá que pagar multas elevadíssimas, pelo que a Peugeot já tratou de começar a electrificar a sua gama.

Os 508, 508 SW e 3008 foram os primeiros a receber este "tratamento", ainda que o preço das baterias e de toda a tecnologia necessária para a "hibridização" atirem os preços finais para valores muito superiores aos que estamos habituados para as versões a combustão.

Porém, a Peugeot propõe que os utilizadores façam contas aos Custos de Propriedade e de Utilização, exercício que aproxima o custo destas variantes híbridas ao das versões a combustão. Há ainda as condições especiais para as empresas e empresários individuais, que beneficiam de isenção de IVA, ISV a 25% e vantagens ao nível da tributação. 

Explicada que está esta ofensiva electrificada da marca do leão, importa apresentar os modelos em causa e contar-lhe tudo o que sentimos ao volante. E acredite que há muito para contar…

3008 Hybrid4: o Peugeot de produção mais potente de sempre

Nesta estadia em Barcelona o modelo que roubou todas as atenções foi o Peugeot 3008 Hybrid4, a versão híbrida "plug-in" do tão elogiado 3008. E na verdade não podia ser de outra forma, já que este é o modelo de produção mais potente de sempre da marca francesa.

As expectativas eram grandes e este 3008 Hybrid4 não desiludiu. A "culpa" foi, em grande parte, do sistema propulsor híbrido que lhe serve de base: falamos de um motor 1.6 PureTech a gasolina com 200 cv e dois motores eléctricos, um de 81 kW (110 cv) e outro de 83 kW (112 cv).

Contas feitas, este Peugeot 3008 Hybrid4 tem uma potência combinada de 300 cv e 520 Nm, números que lhe permitem acelerar dos 0 aos 100 km/h em apenas 5,9 segundos.

A alimentar tudo isto está um "pack" de baterias de iões de lítio com 13,2 kWh de capacidade, para uma autonomia 100% eléctrica de 59 quilómetros. Recorrendo a uma Wallbox de 7,4 kW (opcional) é possível carregar a totalidade da bateria em apenas 1h45m.

Imagem exterior não mudou

A essência deste 3008 Hybrid4 é bastante distinta, mas a verdade é que ao nível da imagem tudo permanece igual. À excepção dos monogramas específicos das versões electrificadas da marca - em azul - e da "porta" que esconde a tomada de carregamento, nada de novo.

E por falar em tomada de carga, importa dizer que ela "comunica" com o utilizador, já que assume várias cores distintas que permitem perceber se o carregamento já acabou ou se ainda está a decorrer, tudo isto sem que o condutor tenha de consultar essa informação no interior do automóvel ou na aplicação do "smartphone".

E no interior, o que mudou?

O uso da plataforma modular EMP2 (Efficient Modular Platform) permitiu que a integração destas alterações mecânicas e do "pack" de baterias não tivesse impacto no espaço disponível a bordo nem no volume da bagageira acima do tapete, agora fixado nos 395 litros.

Ainda assim, quem optar pelo tejadilho panorâmico fica algo limitado ao nível da altura disponível para a cabeça nos bancos traseiros.

Mas se a imagem e a configuração do habitáculo não sofreu alterações, o mesmo não se pode dizer dos revestimentos. A versão Hybrid4 está disponível apenas na versão GT com um revestimento exclusivo em Alcantara (cinza) e decorações em madeira de carvalho envelhecido.

4 modos de condução

O já conhecido sistema i-Cockpit - o normal, e não o modelo 3D que já figura nos 208 e 2008 - também recebeu instrumentação específica que nos vai mantendo a par do nível de carga da bateria, da autonomia eléctrica disponível e do modo de condução em que nos encontramos. E por falar em modos de condução, importa dizer que há quatro à escolha: Eléctrico (100% eléctrico), Hybrid (gestão automática entre os três motores disponíveis), 4WD (para condições de aderência desfavoráveis) e Sport (para tirar todo o proveito dos 300 cv de potência).

Está ainda disponível uma função "e-Save" que permite ao condutor reservar parte da autonomia eléctrica (10 km, 20 km ou a autonomia eléctrica total) para usar mais tarde, seja dentro da cidade ou num espaço fechado.

Híbrido com "feeling" desportivo

O 3008 Hybrid4 está longe de ser um desportivo, nem alguma vez o quis ser. Ainda assim, este propulsor híbrida transforma por completo as sensações ao volante deste modelo, que ganha um poder de arranque muito diferente daquele a que estávamos habituados nas versões a combustão.

A condução é semelhante a um 3008 com motor a combustão, apesar do peso das baterias, mas aqui contamos com um "boost" eléctrico que transforma por completo a experiência de condução. Em estrada aberta a capacidade de "disparo" é impressionante, com este 3008 a acelerar dos 0 aos 100 km/h em 5,9 segundos e a chegar aos 235 km/h de velocidade máxima (135 km/h no modo eléctrico).

Para testar todo este poderio a Peugeot levou-nos ao Autódromo de Terramar, que foi inaugurado em 1923 mas que está por usar desde os anos 50. As paredes com 60 graus de inclinação e os dois quilómetros de comprimento foram o palco ideal para testar o poder de aceleração deste modelo, que nunca revelou qualquer vestígio de atraso de resposta do turbo do bloco de quatro cilindros de 1.6 litros a gasolina.

A estabilidade e o conforto também nos impressionaram, muito por culpa do eixo traseiro mais evoluído. Não notámos grande rolamento da carroçaria em curva e a direcção é precisa e directa o suficiente para que a frente siga na direcção que apontamos com o volante, que continua a ser muito compacto.

Guiámos este modelo por estradas secundárias, repletas de curvas, e apreciámos o comportamento da transmissão automática de oito velocidades e-EAT8. Quanto aos consumos, e apesar da Peugeot reivindicar uma média de apenas 1,3l/100 km, prepare-se para ver este número disparar, sobretudo porque a motorização nervosa convida a adoptar um estilo de condução mais agressivo. Quanto aos consumos eléctricos, conseguimos uma média bastante interessante: 14 kWh/100 km. A média de emissões homologada é de 28g de CO2.

Garras afiadas fora de estrada…

Fora de estrada, e recorrendo à tracção integral, este leão revelou agilidade e, acima de tudo, muita aderência, mesmo em pisos mais complicados.

A Peugeot montou um exigente circuito "off-road" ao centro do Autódromo de Terramar que serviu para colocar este 3008 Hybrid4 à prova.

Testámos e ficámos rendidos ao sistema de auxílio às descidas, uma espécie de "cruise control" que nos permite ultrapassar descidas íngremes sem tocar nos pedais, sendo apenas necessário assumir a direcção.

A entrega imediata de binário (distribuído por todas as rodas) faz toda a diferença na hora de "atacar" troços fora de estrada e dá-nos confiança para ultrapassar obstáculos mais complicados, onde um SUV com tracção dianteira ficava facilmente "arrumado".

Vale a pena?

Com 300 cv de potência combinada, estávamos à espera de encontrar um modelo muito despachado em estrada aberta e com um poder de disparo assinalável. E foi precisamente isso que encontrámos neste 3008 Hybrid4. A grande surpresa foi o seu comportamento fora de estrada, onde revelou sempre muita competência e tranquilidade. 

Cumpriu todos os objectivos que lhe propusemos sem qualquer esforço, o que nos deu confiança para o levar ainda mais ao limite. Bem sabemos que poucos são os clientes do 3008 que planeiam levá-lo para estradões de terra ou gravilha, mas é sempre bom saber que o pode fazer.

O Peugeot 3008 Hybrid4 chega ao mercado em Março, com preços a começar nos 52.425 euros. Mais tarde chega uma versão menos potente e com apenas um motor eléctrico, com preços desde 45.125 euros.

Ficha Técnica

Motor Combustão: 1.6 PureTech de 200 cv
Cilindrada: 1598 cc
Motor Eléctrico 1: 81 kW (ou 110 cv)
Motor Eléctrico 2: 83 kW (ou 112 cv)
Potência Combinada: 300 cv
Binário Máximo: 520 Nm
Velocidade Máxima: 235 km/h (135 km/h no modo eléctrico)
0-100 km/h: 5,9 s
Consumo Médio: 1,2 l/100 km
Emissões CO2: 28 gr/km

Preço desde: 52.425 euros

+ Condução: Conjunto híbrido é impressionante em estrada e muito capaz fora dela
- Lugares Traseiros: Quem optar pelo tejadilho panorâmico fica algo limitado ao nível da altura para a cabeça
Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.