Pesquisa
Peugeot 308 já é 100% eléctrico; autonomia ultrapassa 400 km

A electrificação da gama automóvel da marca do leão segue a bom ritmo para cumprir a estratégia delineada pelo grupo Stellantis até ao final da década.

O Peugeot 308 e a sua variante Station Wagon já têm as suas versões puramente electrificadas.

É no novo motor eléctrico que está o principal trunfo dos Peugeot e-308 e e-308 SW, associado a um consumo bem mais reduzido do que é normal.

E, a reforçar os argumentos de ambas as propostas, está ainda uma nova bateria a propor uma autonomia alargada face à concorrência mais directa.

Ainda sem preços definidos, a sua chegada ao nosso país deverá acontecer em meados do próximo ano, à semelhança do que irá acontecer no resto da Europa.

Estética mantida

A nível estético, há poucas diferenças em relação aos seus "irmãos" com motorizações a combustão ou híbridas plug-in.

Todavia, a um olhar mais atento, o modelo distingue-se visualmente pelos faróis Matrix LED, assim como pelas novas jantes em liga leve de 18 polegadas.

Também a área frontal, assim como a parte inferior da carroçaria, foram optimizadas para uma melhor aerodinâmica.

Inevitavelmente, são os logótipos "E" que nos lembram que debaixo do Peugeot e-308 e e-308 SW está um motor 100% electrificado.

A bordo destaca-se o i-Cockpit da Peugeot, com painel de instrumentos digital 3D e visor head-up , alinhado com um ecrã táctil multimédia de dez polegadas.

Novo sistema motriz

O novo sistema motriz é constituído por um propulsor eléctrico de 115 kW (156 cv) e 260 Nm, e uma bateria de nova geração de 400 volt com 54 kWh.

O redutor, agora mais eficiente, optimiza a autonomia de tal maneira que deverá ultrapassar os 400 quilómetros, embora esteja ainda em curso a homologação.

De assinalar é o consumo combinado de 12,7 kWh, o que, a confirmar-se, passará a ser referência para o segmento C eléctrico.

Essa eficácia é conseguida pela selecção Eco, Normal ou Sport dos modos de condução, com o modo Brake a reforçar a recuperação de energia.

A bateria pode ser recarregada em corrente alternada através do carregador trifásico de série com uma potência de 11 kW.

Já num terminal de corrente contínua a 100 kW, o tempo de carregamento de 20 a 80% deverá fazer-se em menos de 25 minutos.

Já segue o Aquela Máquina no Instagram?

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.