Pesquisa
Demolidor: 843 cv para o Mercedes-AMG GT S E 63 Performance

São números que fazem crescer água na boca: uns insanos 843 cv de potência e 1.470 Nm de binário máximos! 

O autor da proeza? O novíssimo Mercedes-AMG GT S E 63 Performance, primeiro super desportivo híbrido plug-in de alto desempenho da marca germânica. 

Potência e binário assombrosos 

A mecânica é composta por um bloco V8 biturbo de 4.0 litros, com os 639 cv e 900 Nm por ele debitados a serem passados às quatro rodas através de uma caixa automática de nove velocidades. 

O propulsor eléctrico de 150 kW (204 cv) e 320 Nm, montado no eixo traseiro, está integrado com um diferencial autoblocante com controlo electrónico e uma caixa de duas relações com actuadores eléctricos. 

A segunda velocidade entra em acção quando este verdadeiro "monstro" atinge os 140 km/hora, em sintonia com as 13.500 rotações por minuto atingidas pelo motor eléctrico. 

As acelerações em estrada são mais do que entusiasmantes: um "tiro" de 2,9 segundos dos zero aos 100 km/hora, e menos de dez segundos para bater nos 200 km/hora. 

Quanto à velocidade máxima atingida pela "super berlina", ela fixa-se nos 316 km/hora, com o consumo médio a ficar-se pelos 8,6 litros por cada 100 quilómetros, e as emissões de dióxido carbono a situarem nas 196 g/km. 

Autonomia eléctrica até 12 km 

A alimentar o motor eléctrico está uma bateria de alto desempenho de 6,1 kWh, com apenas 89 quilos, integrada com um carregador AC de 3,7 kW. 

Projectada para uma rápida entrega de energia, a autonomia em modo 100% eléctrico fica-se apenas pelos 12 quilómetros. 

A arrefecer individualmente as 560 células que constituem a bateria está um evoluído líquido refrigerante não condutor. 

São cerca de 14 litros de líquido refrigerante a fluírem em contínuo para mantê-la à temperatura ideal de 45° C), independentemente da frequência com que é carregada ou descarregada. 

O prazer de condução é assegurado pelos sete modos do sistema AMG Dynamic Select: Electric, Comfort, Sport, Sport+, Race, Individual e Slippery

A última selecção reduz a potência e distribui o binário para ajudar a controlar o desportivo em pisos escorregadios. A condução totalmente eléctrica e os ajustes dos quatro níveis de travagem regenerativa também são desactivados. 

De série é o AMG Ride Control +, composto por uma suspensão pneumática com múltiplas câmaras com nivelamento automático e amortecimento ajustável por via electrónica. 

O sistema AMG Dynamics, com as selecções Basic, Advanced, Pro e Master, dá uma preciosa ajuda no comportamento da super berlina, agindo sobre o ESP, o sistema de tracção 4MATIC+ e o diferencial traseiro autoblocante. 

A travagem é assegurada por travões carbono-cerâmicos, com discos dianteiros de 420 mm e pinças de seis pistões, e traseiros de 380 mm com pinças de um pistão. 

Estética mantida 

Quanto à estética geral, o Mercedes-AMG GT S E 63 Performance diferencia-se do GT 63 "convencional" pelos logótipos E Performance e a portinhola de carregamento eléctrico. 

As jantes em liga leve, de 20 ou 21 polegadas, também são novas, sendo cada jogo proposto em duas tonalidades. 

Opcional é o pacote AMG Night Package II, que também pode ser combinado com a opção Carbon Package para um impacto ainda maior na estrada. 

O interior mantém a estrutura geral do seu "irmão" térmico, com as principais diferenças a reflectirem-se no painel de instrumentos e no ecrã táctil de infoentretenimento com funções específicas do sistema híbrido. 

Já segue o Aquela Máquina no Instagram?

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.