Pesquisa
Super Carros
Jaguar está a pensar num hiper-desportivo eléctrico
10:00 - 05-06-2018
  20
JaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguar
JaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguarJaguar

A Jaguar pode vir a realizar um hiper-desportivo eléctrico e há cada vez mais rumores que apontam nesse sentido. Por um lado, a marca de Coventry apostou na mobilidade eléctrica, e é evidente que não vai ficar-se apenas pelo novo I-Pace.Por outro, Ian Callum, o seu responsável pelo design, admitiu que gostaria de realizar um super-desportivo e tem voltado recorrentemente a este discurso.

É certo que a marca britânica está afastada deste tipo de veículos, mas eles não são uma novidade para os engenheiros de Coventry. No início dos anos 90 do século passado foi desenvolvido, em parceria com a TWR de Tom Walkinshaw, o XJR-15 equipado com um motor 6.0 V12 colocado em posição central. Foram construídas 53 unidades deste modelo com uma estrutura monobloco em fibra de carbono.

Depois surgiu o XJ220 que começou a ser pensado para utilizar um motor V12 e contar com tracção total permanente, mas acabou por adoptar um bloco V6 biturbo, com 3.5 litros de cilindrada. Foram construídas 281 unidades de um dos mais rápidos super-carros do seu tempo.

Em 2010 a Jaguar mostrou o concept C-X75, desenvolvido em colaboração com a equipa Williams de Fórmula 1, mas este coupé com uma motorização hibrida nunca foi produzido, apesar de ter sido protagonista em "Spectre", o último filme da saga 007, onde foi o carro de serviço do mau da fita.

Actualmente o envolvimento da Jaguar no campeonato de Fórmula E garante aos engenheiros de Coventry o acesso à tecnologia necessária para realizar um hiper-desportivo de elevadas performances. Resta saber se o projecto terá luz verde, já que tudo depende do potencial que os responsáveis pelos estudos de marketing vejam na aposta num segmento de mercado que poderá não estar ainda preparado para um veículo com estas características.

 

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.