Pesquisa
Novos Modelos
Guiámos o Fiat 124 Spider
11:59 - 15-06-2016
  231
Guiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 Spider
Guiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 SpiderGuiámos o Fiat 124 Spider
Só o nome 124 Spider desperta a memória de quem viveu intensamente o desporto automóvel nos anos 70. Hoje é a elegância desportiva que faz o apelo do novo descapotável de dois lugares da marca de Turim.

O 124 Spider do séc. XXI não deixa ninguém indiferente e poucos são capazes de associar este modelo com o Mazda MX-5 que lhe deu origem e com o qual partilha muitos elementos do chassis e não só. Mas se há muito pontos de contacto entre os dois modelos, também grandes diferenças que marcam o carácter de cada um deles.

O design
do Fiat 124 Spider procura fazer uma ponte entre o passado e o presente, uma fórmula nostálgica que fez o sucesso de um certo Fiat 500. Gostos não se discutem, e se há quem vá elogiar o apuro da forma, o cuidado no detalhe e a elegância que tem tudo a ver com o estilo italiano, haverá quem vá defender o estilo e a forma do Mazda MX-5...

Em termos de volumetria os dois modelos equivalem-se apesar do Fiat ser ligeiramente maior. Mas com a mesma distância entre-eixos não há grandes diferenças num habitáculo onde o espaço é o mínimo indispensável para desfrutar da condução a céu aberto, pois até os porta-objectos são escassos. O 124 Spider faz a diferença com um maior cuidado ao nível do design, que alia a modernidade e a funcionalidade com um estilo que nos remete para descapotáveis de outros tempos. Isso é patente mesmo no painel de instrumentos e no ecrã de sete polegadas com comandos fáceis e intuitivos. Só é pena que o volante não seja regulável em profundidade.

Os dois modelos utilizam capotas de lona sem comandos eléctricos, mas a do MX-5 é muito mais simples e rápida de abrir ou fechar. Em qualquer dos casos a bagageira apenas tem capacidade para um par de sacos.

Ao volante.
O motor 1.4 turbo MultiAir de 140 cv voz grossa, mas não quer dizer que seja agressivo. É dinâmico a alto regime mas algo preguiçoso a baixa rotação (2 250 Nm às 2 250 rpm), o que exige o recurso à caixa de velocidades para manter o regime mais adequado. As performances são honestas. É possível chegar aos 215 km/h e atingir os 100 km/h em 7,5 segundos mantendo a aceleração até às 5 000 rpm sem dificuldade. O segredo para manter ritmos de condução elevados onde o segredo passa pela rapidez e pelo escalonamento da caixa manual de seis velocidades.

A comparação com o Mazda MX-5 1.5 de 130 cv é inevitável e é notória sobretudo em estradas secundárias com curvas encadeadas. O Fiat 124 Spider é menos nervoso e mais previsível, o que tem a ver com uma suspensão mais suave, mas mesmo assim é ágil e bem agradável de guiar. Quem quiser mais emoção pode optar pelo 124 Spider Abarth.

O Fiat 124 Spider tem chegada prevista para Setembro e os preços começam nos 27 800 euros da versão base. O nível Lusso, com jantes de 17 polegadas, estofos em couro e um ecrã táctil tem um preço a partir de 30 300.
Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.