Pesquisa
Actualidade

Honda usa impressão 3D para criar eléctrico

12:08 - 13-10-2016
  17
Honda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctrico
Honda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctricoHonda usa impressão 3D para criar eléctrico
A Honda desenvolveu um veículo eléctrico de pequena autonomia denominado "Micro Commuter", que será usado como veículo de entregas pela empresa japonesa Toshimaya, conhecida pelas famosas bolachas "Hato sablé".

Desenvolvido em conjunto com a Kabuku e apresentado pela primeira vez na CEATEC Japan 2016 – uma das "feiras" de tecnologia mais relevantes do Mundo -, este "Micro Commuter" é "coberto" por painéis que foram criados através de uma impressora 3D, dando "vida" à ideia de um veículo de design variável, como a marca japonesa pretendia para este projecto.

Com 2,495 mm de comprimento, 1,280 mm de largura e 1,545 mm de altura, este veículo de "zero emissões" tem lugar apenas para o condutor e oferece uma autonomia de aproximadamente 80 km com uma só carga, sendo que pode atingir uma velocidade máxima de 70 km/h.

Com um peso de 600 kg, fruto dos materiais (leves) usados, o Honda Micro Commuter oferece um espaço de carga bastante generoso para o seu "tamanho", e promete usar este trunfo para distribuir um dos produtos mais conhecidos do Japão.

As vantagens da utilização destes materiais são muitas, a começar no peso, que depois se revela importante não só ao nível dos consumos (e da consequente autonomia) como no preço final. Resta saber se esta "moda" pega e se virá a ser usada em veículos de maior produção.
Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.