Pesquisa
Actualidade

Ferrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilão

18:50 - 01-02-2018
  3
Ferrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilão
Ferrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilãoFerrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilão
Ferrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilão

A peça central do leilão que a RM Sotheby’s vai organizar em Paris no próximo dia 7 de Fevereiro é um Ferrari 166 MM Spider único com 65 anos. Foi modificado para a "Mile Miglia" – como o MM na sua designação sugere, uma das corridas mais importantes da época, e tem uma carroçaria única, feita pela Carrozzeria Autodromo.

A primeira prova em que participou foi o giro di Sicilia, em 1953, mas duas semanas depois entrou na Mille Miglia com o número #514 e com Bill Mason ao volante. O mais provável é que este nome nem lhe diga nada, mas Bill era o pai de Nick Mason, baterista da banda Pink Floy e dono de uma das colecções de Ferrari mais valiosas do Mundo.

Durante este ano o carro acabaria por ser usado na produção de um vídeo para a Shell acerca das Mille Miglia, sendo que este trabalho foi realizado pelo próprio Bill Mason, que assegurou um terceiro lugar na categoria e um 56º posto na geral da mítica corrida.

Registado em Modena com o número MO 29583 por Dr Alberico Cacciari of Pinnazzio di Castelfranco, o primeiro dono deste 166 MM com o chassis número 0272 M, este "Cavallino Rampante" voltaria a esta mesma prova em 1954, já depois de ter sido vendido a Alberto Luongo of Rome e já depois de ter sofrido um pequeno acidente. Desta feita contou com Emmanuel de Graffenried e G. Parravicini e correu com o número #556. Entrou na prova sob o nome da Scuderia Ferrari mas foi usado pela MGM Studios para o seu filme "The Racers", sendo que tanto Graffenried como Parravicini conduziram o carro como duplos, já que o protagonista do filme era Kirk Douglas, que ganhou a prova com o nome Gino Borgesa e que no filme conduzia um Spyder Burano… e não um Ferrari. Mas se tudo correu bem com as filmagens para este filme e se na "tela" este Ferrari (ou melhor, Spyder Burano) até ganhou a corrida, no "mundo real" nem a chegou a acabar. E tudo por culpa das filmagens…

Ferrari 166 MM Spider pode arrecadar 4.5 milhões em leilão

Acabado o "papel" na Mille Miglia o Ferrari 166 MM foi exportado para a Califórnia para que as filmagens do filme "The Racers" fossem finalizadas, sendo que depois disso foi vendido a Tom Carstens que por sua vez o vendeu a Pete Lovely. A viagem deste Ferrari pelos "States" continuou atribulada durante os próximos anos, sendo que só em 1961, e depois de uma passagem pelo Pebble Beach Concours d’Elegance, este carro foi comprado por Ed Niles, entusiasta da marca de Maranello.

Nos anos seguintes foi presença assídua quer em Pebble Beach quer em Monterey e só voltaria a mudar de mãos em 1993, por Ed Davies. Mas seria John Megrue, em 2000, que acabaria por ficar com ele e por o levar de volta a Itália, para participar na Mille Miglia Storica de 2008, 2009 e 2010.

Por esta altura já percebeu que este Ferrari vale muito dinheiro… e a verdade é que não podia estar mais correcto. É considerado por Andrea Curami, historiador da Ferrari, como "um dos primeiros Ferrari de competição mais originais que existe" e prova disso é o certificado de 97 páginas que o acompanha. Nesta verdadeira bíblia é possível perceber que o motor V12, a caixa de velocidades de cinco relações, o eixo traseiro, os carburadores, o chassis e a direcção são originais e a carroçaria conta com um desenho 80 por cento original.

Os especialistas da leiloeira responsável pela venda, a RM Sotheby’s, acreditam que será vendido por um valor a rondar os 4.5 milhões de euros, uma "fortuna" aos olhos dos "comuns dos mortais". Mas não temos dúvidas em afirmar que no próximo dia 7 de Fevereiro não faltarão interessados para levar este "Cavallino Rampante" para casa…

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.