Pesquisa
Actualidade
Que memórias lhe trazem os anos 80? A loucura dos GTIs!!!
14:03 - 01-12-2019
 
Não será um modelo tão valioso como o da primeira geração, mas foi o Renault 5 GT Turbo, lançado em Fevereiro de 1985, quem popularizou a febre pelos GTs e GTIs. Se os motores turbo-comprimidos, nessa época, já não eram uma novidade, raro era encontrá-los em utilitários desportivos a preços acessíveis.Equipado com um motor de 1.4 litros de quatro cilindros, “oferecia” 115 cv de potência para “puxar” 850 quilos... e não tinha qualquer assistente electrónico a ajudar à condução!Para meados da década de 80, o Renault 5 GT Turbo tinha prestações revolucionárias: velocidade máxima em redor dos 200 km/hora, e oito segundos dos 0 aos 100 km/hora.O “desportivo” por excelência, adaptado de um familiar de série, é, na opinião de muitos, a segunda geração do Volkswagen Golf GTI lançada em 1984.Equipado com um propulsor aspirado de 1.8 litros com quatro cilindros, colocava 112 cv na estrada para um peso a rondar os 940 quilos.Robustez, fiabilidade, equilíbrio e dinamismo foram atributos que nunca mais abandonaram este modelo, que ganhou ainda mais músculo em 1986 com o Golf GTI de 16 válvulas, com 139 cv de potência.Se o Golf GTI “simples” fazia 9,4 segundos dos 0 aos 100 km/hora para uma velocidade de ponta de 191 km/hora, o Golf GTI 16v fazia oito segundos, e 208 km/hora de velocidade máxima.O Fiat Uno Turbo i.e. foi o desportivo que, de imediato, ganhou o epíteto de “caixão” voador quando chegou ao mercado europeu em 1985.Com apenas 845 quilos de peso, tinha montado um motor de 1.3 litros com 105 cv. Principal novidade? Um motor turbo-alimentado com injecção directa, que o colocava acima dos seus concorrentes mais directos!O desempenho era soberbo para a época: nove segundos dos 0 aos 100 km/hora e uma velocidade máxima a roçar os 200 km/hora.Em 1989, a acompanhar a segunda geração do modelo, é lançada a versão de 118 cv para chegar aos 205 km/hora e fazer 8,3 segundos dos 0 aos 100 km/hora.O Peugeot 205 GTI é, muito provavelmente, um dos desportivos que melhor soube envelhecer a nível estético, desde o seu lançamento em 1984.Os 105 cv de potência dados pelo motor de 1.6 litros levavam este desportivo, com 855 quilos de peso, aos 190 km/hora, demorando 9,5 segundos para ir dos 0 aos 100 km/hora.Dois anos mais tarde, o propulsor é “mexido” para dar mais 10 cv, bem mais palpáveis na estrada: nove segundos para chegar aos 100 km/hora e 195 km/hora de velocidade de ponta.Em Dezembro de 1986, é a “boa desgraça” para os fãs do 205 GTI: surge a versão equipada com o motor de 1.9 litros com 130 cv para bater os 200 km/hora!A Opel teve no Corsa a sua principal aposta para chegar a mercados que começavam a ganhar velocidade na mobilidade automóvel. Em 1985, lança o Corsa GT de 70 cv com motor de 1.3 litros.A curiosidade é que um desses exemplares, fabricado em 1987, foi comprado no nosso país pela Opel para ser exibido no stand da marca no Salão Automóvel de Frankfurt deste ano.Em 1987, avança com variante GSI para responder aos rivais directos de forma mais consistente.Com um propulsor de 1.6 litros para 100 cv de potência, o Opel Corsa GSI ganha outro vigor, chegando aos 189 km/hora, e fazendo 9,5 segundos dos 0 aos 100 km/hora.Do país do sol nascente surgiu um compacto que teve o seu impacto: o Suzuki Swift GTI.Lançado em 1986 com um motor de 1.3 litros, os 100 cv de potência que colocava na estrada punha-o a par de outros GTIs da sua geração.Em apenas 9,4 segundos chegava aos 100 km/hora, e atingia os 182 km/hora de velocidade máxima.Para isso beneficiava dos 750 quilos que pesava, com um rácio de 8,5 quilos por cv de potência.Não se poderia deixar de parte o Citroën AX, o modelo de maior sucesso da marca francesa desde o “clássico” 2 CV.Lançado em 1986, apoiado por uma memorável campanha publicitária de televisão filmada na China, o citadino ganhou no ano seguinte a variante GT.Com apenas 705 quilos, o motor de 1360 que o equipava oferecia 85 cv de potência, menos 10 cv do que a versão Sport lançada uns meses antes, mas muito melhor equipado.Ligeiro na estrada, fazia 9,7 segundos para atingir os 100 km/hora, para uma velocidade máxima de 179 km/hora… e era um carro assustador!Proposto em 1981, o Ford Fiesta XR2 terá sido, provavelmente, um dos primeiros compactos da década a abraçar o espírito GTI, embora o desempenho revelasse já a idade do modelo lançado em 1976.A pesar 800 quilos, dispunha de um motor de 1.6 litros com 84 cv que apenas o “levava” aos 169 km/hora e “arrastava-se” durante 10,8 segundos até o velocímetro chegar aos 100 km/hora.Quando a segunda geração do Fiesta foi lançada em 1984, dois anos depois surgiu o novo XR2 com 96 cv de potência para 840 quilos de peso.Infelizmente, o desempenho continuava a não ser maravilhoso: a velocidade máxima era de 178 km/hora, e continuava a passar dos dez segundos para atingir os 100 km/hora.O Honda Civic CR-X terá sido um dos primeiros coupés 2+2 “acessíveis” a surgir no mercado europeu em 1983.De linhas arrojadas, equipava-o um motor de 1.5 litros e, com 825 quilos de peso, chegava aos 187 km/hora, depois de serem cronometrados 9,5 segundos para atingir os 100 km/hora.Foi a segunda geração lançada cinco anos mais tarde, no entanto, que marcou a década de 80, muito graças à variante propulsora de 1.6 litros VTEC com 150 cv.O facto de pesar 1010 quilos não o impedia de fazer 8,2 segundos até aos 100 km/horas e atingir os 215 km/hora.Nada melhor para “fechar” a quinta e última geração do Opel Kadett com uma versão para os amantes da velocidade, representada na variante GSI lançada em 1984.A querer lutar de igual para igual com o Volkswagen Golf GTI, o Opel Kadett GSI começa por propor 115 cv com um motor de 1.8 litros.Todavia, só quatro anos mais tarde é que o desportivo consegue “derrubar” o rival com a versão de 16 válvulas.À época, era o desportivo mais potente: os 156 cv dados por um propulsor de 2.0 litros permitiam ao Kadett GSI 16v “voar” dos 0 aos 100 km/hora em 8,1 segundos e bater nos 218 km/hora.A Peugeot não tinha apenas no icónico 205 GTI o desportivo para os amantes da velocidade. “Feio” e “quadradão” quando foi lançado em 1987, o 309 GTI apresentava qualidades bem relevantes.O motor de 1.9 litros dava uma potência de 130 cv para combater… o Volkswagen Golf GTIDois anos mais tarde, a “força” do Peugeot 309 GTI sofre um incremento com o ultra-desportivo de 160 cv.A Ford bem tentava, com o XR3 da terceira geração do Escort, fazer frente ao Volkswagen Golf GTI; afinal era o principal rival que tinha pela frente.Lançado em 1980, quatro anos antes da renovação do modelo alemão, o desportivo era esteticamente bem concebido.Os 96 cv do motor de 1.6 litros, no entanto, só lhe permitiam chegar aos 178 km/hora.Dois anos mais tarde, e já com a versão XR3i, de injecção electrónica, passou para os 105 cv para atingir os 185 km/hora.Foi de um projecto recusado pela Volkswagen que nasceu o Seat Ibiza em 1985, um modelo que “salvou” a marca espanhola de uma possível mais que certa falência.O modelo viu três anos depois a versão SXI, equipada com um motor de 1.5 litros e 100 cv de potência. Se a velocidade de ponta era razoável (185 km/hora), o pior estava para lá chegar. Dos 0 aos 100 km/hora demorava uns eternos 12,2 segundos!
Não será um modelo tão valioso como o da primeira geração, mas foi o Renault 5 GT Turbo, lançado em Fevereiro de 1985, quem popularizou a febre pelos GTs e GTIs. Se os motores turbo-comprimidos, nessa época, já não eram uma novidade, raro era encontrá-los em utilitários desportivos a preços acessíveis.Equipado com um motor de 1.4 litros de quatro cilindros, “oferecia” 115 cv de potência para “puxar” 850 quilos... e não tinha qualquer assistente electrónico a ajudar à condução!Para meados da década de 80, o Renault 5 GT Turbo tinha prestações revolucionárias: velocidade máxima em redor dos 200 km/hora, e oito segundos dos 0 aos 100 km/hora.O “desportivo” por excelência, adaptado de um familiar de série, é, na opinião de muitos, a segunda geração do Volkswagen Golf GTI lançada em 1984.Equipado com um propulsor aspirado de 1.8 litros com quatro cilindros, colocava 112 cv na estrada para um peso a rondar os 940 quilos.Robustez, fiabilidade, equilíbrio e dinamismo foram atributos que nunca mais abandonaram este modelo, que ganhou ainda mais músculo em 1986 com o Golf GTI de 16 válvulas, com 139 cv de potência.Se o Golf GTI “simples” fazia 9,4 segundos dos 0 aos 100 km/hora para uma velocidade de ponta de 191 km/hora, o Golf GTI 16v fazia oito segundos, e 208 km/hora de velocidade máxima.O Fiat Uno Turbo i.e. foi o desportivo que, de imediato, ganhou o epíteto de “caixão” voador quando chegou ao mercado europeu em 1985.Com apenas 845 quilos de peso, tinha montado um motor de 1.3 litros com 105 cv. Principal novidade? Um motor turbo-alimentado com injecção directa, que o colocava acima dos seus concorrentes mais directos!O desempenho era soberbo para a época: nove segundos dos 0 aos 100 km/hora e uma velocidade máxima a roçar os 200 km/hora.Em 1989, a acompanhar a segunda geração do modelo, é lançada a versão de 118 cv para chegar aos 205 km/hora e fazer 8,3 segundos dos 0 aos 100 km/hora.O Peugeot 205 GTI é, muito provavelmente, um dos desportivos que melhor soube envelhecer a nível estético, desde o seu lançamento em 1984.Os 105 cv de potência dados pelo motor de 1.6 litros levavam este desportivo, com 855 quilos de peso, aos 190 km/hora, demorando 9,5 segundos para ir dos 0 aos 100 km/hora.Dois anos mais tarde, o propulsor é “mexido” para dar mais 10 cv, bem mais palpáveis na estrada: nove segundos para chegar aos 100 km/hora e 195 km/hora de velocidade de ponta.Em Dezembro de 1986, é a “boa desgraça” para os fãs do 205 GTI: surge a versão equipada com o motor de 1.9 litros com 130 cv para bater os 200 km/hora!A Opel teve no Corsa a sua principal aposta para chegar a mercados que começavam a ganhar velocidade na mobilidade automóvel. Em 1985, lança o Corsa GT de 70 cv com motor de 1.3 litros.A curiosidade é que um desses exemplares, fabricado em 1987, foi comprado no nosso país pela Opel para ser exibido no stand da marca no Salão Automóvel de Frankfurt deste ano.Em 1987, avança com variante GSI para responder aos rivais directos de forma mais consistente.Com um propulsor de 1.6 litros para 100 cv de potência, o Opel Corsa GSI ganha outro vigor, chegando aos 189 km/hora, e fazendo 9,5 segundos dos 0 aos 100 km/hora.Do país do sol nascente surgiu um compacto que teve o seu impacto: o Suzuki Swift GTI.Lançado em 1986 com um motor de 1.3 litros, os 100 cv de potência que colocava na estrada punha-o a par de outros GTIs da sua geração.Em apenas 9,4 segundos chegava aos 100 km/hora, e atingia os 182 km/hora de velocidade máxima.Para isso beneficiava dos 750 quilos que pesava, com um rácio de 8,5 quilos por cv de potência.Não se poderia deixar de parte o Citroën AX, o modelo de maior sucesso da marca francesa desde o “clássico” 2 CV.Lançado em 1986, apoiado por uma memorável campanha publicitária de televisão filmada na China, o citadino ganhou no ano seguinte a variante GT.Com apenas 705 quilos, o motor de 1360 que o equipava oferecia 85 cv de potência, menos 10 cv do que a versão Sport lançada uns meses antes, mas muito melhor equipado.Ligeiro na estrada, fazia 9,7 segundos para atingir os 100 km/hora, para uma velocidade máxima de 179 km/hora… e era um carro assustador!Proposto em 1981, o Ford Fiesta XR2 terá sido, provavelmente, um dos primeiros compactos da década a abraçar o espírito GTI, embora o desempenho revelasse já a idade do modelo lançado em 1976.A pesar 800 quilos, dispunha de um motor de 1.6 litros com 84 cv que apenas o “levava” aos 169 km/hora e “arrastava-se” durante 10,8 segundos até o velocímetro chegar aos 100 km/hora.Quando a segunda geração do Fiesta foi lançada em 1984, dois anos depois surgiu o novo XR2 com 96 cv de potência para 840 quilos de peso.Infelizmente, o desempenho continuava a não ser maravilhoso: a velocidade máxima era de 178 km/hora, e continuava a passar dos dez segundos para atingir os 100 km/hora.O Honda Civic CR-X terá sido um dos primeiros coupés 2+2 “acessíveis” a surgir no mercado europeu em 1983.De linhas arrojadas, equipava-o um motor de 1.5 litros e, com 825 quilos de peso, chegava aos 187 km/hora, depois de serem cronometrados 9,5 segundos para atingir os 100 km/hora.Foi a segunda geração lançada cinco anos mais tarde, no entanto, que marcou a década de 80, muito graças à variante propulsora de 1.6 litros VTEC com 150 cv.O facto de pesar 1010 quilos não o impedia de fazer 8,2 segundos até aos 100 km/horas e atingir os 215 km/hora.Nada melhor para “fechar” a quinta e última geração do Opel Kadett com uma versão para os amantes da velocidade, representada na variante GSI lançada em 1984.A querer lutar de igual para igual com o Volkswagen Golf GTI, o Opel Kadett GSI começa por propor 115 cv com um motor de 1.8 litros.Todavia, só quatro anos mais tarde é que o desportivo consegue “derrubar” o rival com a versão de 16 válvulas.À época, era o desportivo mais potente: os 156 cv dados por um propulsor de 2.0 litros permitiam ao Kadett GSI 16v “voar” dos 0 aos 100 km/hora em 8,1 segundos e bater nos 218 km/hora.A Peugeot não tinha apenas no icónico 205 GTI o desportivo para os amantes da velocidade. “Feio” e “quadradão” quando foi lançado em 1987, o 309 GTI apresentava qualidades bem relevantes.O motor de 1.9 litros dava uma potência de 130 cv para combater… o Volkswagen Golf GTIDois anos mais tarde, a “força” do Peugeot 309 GTI sofre um incremento com o ultra-desportivo de 160 cv.A Ford bem tentava, com o XR3 da terceira geração do Escort, fazer frente ao Volkswagen Golf GTI; afinal era o principal rival que tinha pela frente.Lançado em 1980, quatro anos antes da renovação do modelo alemão, o desportivo era esteticamente bem concebido.Os 96 cv do motor de 1.6 litros, no entanto, só lhe permitiam chegar aos 178 km/hora.Dois anos mais tarde, e já com a versão XR3i, de injecção electrónica, passou para os 105 cv para atingir os 185 km/hora.Foi de um projecto recusado pela Volkswagen que nasceu o Seat Ibiza em 1985, um modelo que “salvou” a marca espanhola de uma possível mais que certa falência.O modelo viu três anos depois a versão SXI, equipada com um motor de 1.5 litros e 100 cv de potência. Se a velocidade de ponta era razoável (185 km/hora), o pior estava para lá chegar. Dos 0 aos 100 km/hora demorava uns eternos 12,2 segundos!

A nostalgia pelos nossos melhores momentos da juventude acontece, na maior das vezes quando entramos na dita "meia-idade", quando já os ossos e os músculos começam a doer-nos na ânsia de não perdermos esses verdes anos.

Esses sentimentos ganharam particular força nos inícios dos anos 70, sempre olhando para uma vivência enérgica passada, pelo menos, duas décadas antes.

Nos primeiros anos do novo milénio, veio a nostalgia pelos loucos e desbragados pelos 80s, aquela década marcada pelo consumismo e pelo individualismo.

A memória desses anos, que muitos consideram os "melhores" de todo o século XX, tem uma particularidade: continua a assombrar-nos, de forma atrozmente forte e vivaz!

Ora, no mundo automóvel, essas recordações ganham uma dinâmica especial quando se falam nos primeiros "desportivos" acessíveis às bolsas menos abonadas.

Fossem eles utilitários ou compactos, com motores atmosférico ou turbocomprimido, estavam quase sempre abaixo dos quatro metros de comprimento.

E, com um peso inferior a mil quilos para os pouco mais de 100 cv que guardavam debaixo do capô, mostravam prestações surpreendentes e uma diversão ao volante inigualável.

Sim, estamos a falar dos famosos GTIs, entre outras designações com o mesmo espírito, essas "bombas" divertidas com motores bem "puxados", que transformavam aqueles carros de série em puro gozo... ou em autênticos "caixões" voadores.

Recorde agora, na nossa fotogaleria, alguns dos modelos mais populares que, muito provavelmente, terão passados pelas suas mãos… e terão deixado muitas saudades!

Já segue o Aquela Máquina no Instagram?

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.