Pesquisa
Actualidade
Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1
17:31 - 10-03-2017
  512
Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1
Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1 Morreu John Surtees, o único campeão de motos e F1

John Surtees morreu aos 83 anos no Hospital St. George, em Londres, depois de ter dado entrada com uma doença respiratória. O britânico estava acompanhado pela mulher, Jane, e as duas filhas, Leonora e Edwina.

John Surtees é o único piloto que foi campeão do mundo em motos e na Fórmula 1, tendo impressionado em ambas as disciplinas com a sua bravura e técnica de condução. Trocou as duas pelas quatro rodas de uma forma natural, acabando por vencer o Mundial de F1 em 1964 com a Ferrari. Nascido a 11 de Fevereiro de 1934 era o mais novo de três irmãos, filhos do dono de uma oficina de motos a sul de Londres. Aos 11 anos já tinha a sua própria moto, que ele próprio reparava e alterava, e aos 16 anos era aprendiz na Vincent (uma fábrica de motos) e começou a competir até chegar à equipa oficial da Norton em 1955 onde garantiu 68 vitórias nas 76 corridas em que participou. Entre 1956 e 1960 integrou a equipa da MV Augusta e conquistou sete títulos mundiais em diversas categorias.

Em 1959 disputou uma corrida de Fórmula 3 com o Cooper de Ken Tyrrell e foi segundo atrás de um certo Jim Clark, e Colin Chapman contratou-o para as últimas quatro corridas do campeonato de 1960. Foi segundo no GP de Inglaterra e quase venceu o GP de Portugal, o que o colocou na mira de todas as equipas. Deixou as motos, declinou o convite da Lotus e ingressou na Cooper em 1961, passando para a Lola em 1962, mas os resultados não melhoraram. Mesmo assim Enzo Ferrari, que geriu na Scuderia uma equipa de motociclismo nos anos 30, estava atento e assegurou a presença do britânico para 1963.

"É conhecida a minha simpatia pelos ex-motociclistas, que têm experiência, conhecimento de mecânica e estão habituados à velocidade" (...) referiu o Comendador no seu livro "Piloti, Che gente...", "John Surtees era um destes "ex" e reunia todas as capacidade que elenquei. Sobre John encantava-me a sua técnica, a paixão, o espírito que em partes iguais e sem limitações colocava na competição: estudava cada corrida, que preparava com consciência e empenho; atento a todos os detalhes, meticuloso, observava os adversários, os carros e as características da pista, sempre à procura dos detalhes que poderia aproveitar. Também era assim com o seu carro, nunca estava satisfeito porque sabia que em mecânica há sempre mais qualquer coisa que se pode fazer"...

Em Nurburgring, depois de uma luta feroz com o Lotus de Jim Clark, John Surtees garantiu a vitória. Em 1964 depois de mais um sucesso na Alemanha, onde derrotou Graham Hill (BRM), venceu em Monza e embalou para a conquista do título.

"Depois de ter sido campeão do mundo em duas rodas por sete vezes, conquistou o Campeonato do Mundo com o Ferrari 158 em 1964. Afastou-se da Ferrari um ano depois, em 1966, quando poderia ter voltado a ser campeão", admitiu Enzo Ferrari, sem aprofundar alguns desencontros com o piloto rabugento.

O britânico terminou a temporada de 1966 com a Cooper Maserati, correu nos EUA no Campeonato CanAm onde sofreu um grave acidente ao volante de um Lola, antes de assumir um papel importante na equipa Honda de F1.

"Surtees teve sempre um comportamento correcto, apesar de durante alguns anos não ter feito mais do que lutar contra os carros da Ferrari. Tornou-se piloto de testes depois de ter estado associado aos japoneses da Honda. Trabalhou com a BRM e até algumas vezes para a Ferrari. Nos últimos anos geriu a sua própria equipa de F1. Nunca garantiu resultados de relevo nem como piloto nem como titular da estrutura. Teve a lealdade de escrever-me a dizer que estas duas experiências lhe recordaram como assumi as minhas decisões, que na época considerou injustas, mas tinham a sua justificação válida para um construtor. Pela minha parte, em conclusão sobre uma situação polémica, quero recordar o que lhe disse na altura: "Sei o que perco, mas não sei o que perderei se o confirmasse [como piloto]"...

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.