Pesquisa
Ensaio
Jaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil euros
11:51 - 28-10-2018
 
Jaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil euros
Jaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil eurosJaguar E-Type Series I: guiámos o ícone dos anos 60 que custa 334 mil euros

O Jaguar E-Type é um dos desportivos mais marcantes dos anos 60. Os Serie I foram produzidos entre 1961 e 1968. No início contavam com um motor de seis cilindros com 3,8 litros, cuja cilindrada foi dilatada para 4,2 litros em Outubro de 1964.

Tivemos oportunidade de conduzir esta preciosidade, recuperada pelo "Project Reborn", um programa da Jaguar/Land Rover Classic que visa recuperar velhas glórias da marca britânica. A empresa faz a prospecção de modelos "perdidos" nos quatro cantos do mundo ou pode partir à descoberta de uma modelo especifico pretendido por um cliente.

Os projectos de restauro estão na moda, mas na maioria dos casos quando alguém compra uma relíquia em estado miserável, não faz ideia de quanto vai gastar para o devolver à vida. Faça o que faça, o custo é sempre exagerado e esses projectos ficam pelo caminho depois de terem sido sorvedores de dinheiro.

Com a Jaguar/Land Rover Classic, o cliente negoceia o preço antes do trabalho começar e, cerca de 18 meses depois (o prazo habitual), paga o que estava acordado. Pode não ser barato, mas não há surpresas.

Guiámos um E-Type Series I de 1964 com um motor V6 de 4,2 litros. O bloco é uma peça de arte da engenharia, com as trombetas de admissão de ar e a barra que liga os injectores de combustível para os carburadores. O coupé que Enzo Ferrari disse ser o automóvel mais bonito jamais construído, parecia ter saído ontem da linha de montagem de Coventry...

O design do habitáculo faz-nos recuar no tempo, da mesma forma que o painel de instrumentos mecânico contrasta com as (pouco emocionantes) propostas digitais dos dias de hoje. Todos os indicadores de temperatura, pressão de óleo e por aí fora, são mecânicos.

O couro é uma imagem que tem tudo a ver com o "british style" ao nível do luxo e reforça o ambiente do habitáculo, que era e continua a ser marcado pelo requinte, qualidade e bom gosto.

O volante, fino como um arame, alia a madeira do ar com o alumínio, e a "pega" contrasta com aquilo que estamos a habituados a encontrar nos grandes desportivos da actualidade. E não era por isso que os condutores da época andavam mais devagar...

Se olharmos para o "velho" Jaguar E-Type e para um dos novos F-Type parece que estamos a comparar o incomparável, e até é verdade. Para quem o desportivo é uma porta aberta para performances radicais, os F-Type, sobretudo os SV mais apimentados, são a opção...

Mas há quem aprecie o charme da tradição que só os automóveis de outros tempos podem oferecer. Para esses, pouco importa que a direcção do "good old" E-Type seja imprecisa ou que seja necessário rodar muito o volante para curvar ou para "agarrar" uma traseira instável.

A suspensão é bamboleante, mas estamos seguros que os condutores mais agressivos do passado não se queixavam das reacções secas que chegam a ser desagradáveis nos mais recentes desportivos actuais. A velha suspensão não impede o rolamento da carroçaria, que conduz à subreviragem na abordagem mais optimista de uma curva, nem a sobreviragem (brusca) quando se acelera à saída.

Mas este não é um problema da suspensão, mas sim da repartição de massas num modelo onde o enorme motor está na frente, e mesmo o habitáculo recuado consegue garantir o equilíbrio desejado.

A embraiagem exige determinação no pé esquerdo, o pé direito tem de gerir o acelerador e o travão, que também pede músculo. O comando da caixa de velocidades surpreendeu-nos. O comando é longo, mas preciso, e se as velocidades entram facilmente quando vamos para cima, com uma ligeira aceleração inicial (dupla) as reduções também são eficazes.

Tudo potencia o prazer de condução. As situações que exigem reacções rápidas por parte do condutor, que nos automóveis modernos está salvaguardado por tantas ajudas electrónicas à condução, deixou de o fazer "sentir" o automóvel que utiliza.

Cada vez mais, este tipo de prazer só está disponível em automóveis de outros tempos, em modelos que apenas alguns podem comprar. O E-Type que conduzimos custa 334 mil euros. Está longe de ser acessível, mas podemos garantir que vale todo o prazer que oferece e quem tiver disponíveis uns "cobres" não deve perder a oportunidade...

FICHA TÉCNICA

Motor: V8
Cilindrada: 4 235 cc
Potência máxima: 269 cv/5 000 rpm
Binário máximo: 384 Nm/2 500 rpm
Velocidade máxima: 240 km/h
0 a 100 km/h: 7,0s
Consumo médio: não indicado
Emissões CO2: não indicado

Preço da unidade ensaiada: 334.000 € - esta proposta

+ PAIXÃO. Esta é uma proposta para quem sabe apreciar os prazeres do passado, num universo cada vez mais estandardizado.

- OPÇÃO. O preço está longe de ser apelativo, mas não podemos esquecer que as paixões não têm preço.

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.