Pesquisa
Ensaio

Ensaio Peugeot 508 PSE: explosão de energia

13:32 - 22-05-2021
 
Ensaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energia
Ensaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energiaEnsaio Peugeot 508 PSE: explosão de energia

Com a electro-mobilidade já em velocidade de cruzeiro, as marcas automóveis começam a propor na sua gama modelos desportivos cada vez mais potentes. 

O Peugeot 508 PSE de ligar à ficha eléctrica que agora chega ao nosso país é o mais recente exemplo, e o que nos é proposto é mais do que prometedor. 

A sigla PSE, que plasma Peugeot Sport Engineered, diz tudo sobre este híbrido ‘plug-in’ proposto nas variantes berlina e carrinha. 

São 360 cavalos debitados por um motor 1.6 PureTech, aliado a dois motores eléctricos, que o tornam o modelo de série mais potente da marca do leão. 

Visual agressivo como se quer 

No primeiro contacto com o 508 PSE, percebe-se logo que o visual estético não é dos mais discretos. 

Se as linhas da berlina e da carrinha "convencionais" já eram muito bem conseguidas, neste desportivo elas são agora ainda mais impactantes. 

Os pára-choques e os escapes dão-lhe uma bela agressividade, reforçada pelos arcos das rodas mais largos para acomodar as jantes em liga leve de 20 polegadas específicas para este modelo.

No interior destaca-se o imponente i-Cockpit, caracterizado pelo seu volante pequeno e quase quadrado, a dar-lhe uma nova raça. 

E, depois, saltam à vista os detalhes em verde fluorescente por fora e por dentro, que a marca designa como kriptonite. 

Sim, há uma ligação ao Super-Homem, que perdia os seus super poderes na presença desta rocha saída do seu planeta Krypton. 

E, no entanto, é exactamente o contrário que acontece quando nos sentamos em frente ao volante, e sentimos que temos para controlar os 360 cv e 520 Nm debitados por este "selvagem" sobre rodas. 

Autonomia eléctrica podia ser maior 

O motor a gasolina do 508 PSE consiste num bloco turbo PureTech de 1.6 litros com 200 cavalos de potência.

 

A ele está associado no eixo dianteiro um electro-motor de 110 cavalos, integrado com a caixa automática de oito velocidades. O segundo motor eléctrico, de 113 cavalos, dá força às rodas traseiras. 

O resultado? São 250 km/hora de velocidade máxima, mas limitada por via electrónica, e apenas 5,2 segundos dos zero aos 100 km/hora. 

A bateria de 11,8 kWh, ligeiramente mais pequena do que a do Peugeot 3008 Hybrid 300, oferece uma autonomia até 46 quilómetros segundo o ciclo WLTP. 

Poderia ser maior a autonomia mas a seu favor tem a capacidade de ser carregada em menos de duas horas através de uma wallbox de 32 amperes, ou em quatro horas numa tomada doméstica reforçada de 16 amperes. 

Direcção e aderência cirúrgicas 

Em estrada, seduz pela sua aderência impecável e pela sua direcção cirúrgica, enquanto na cidade as manobras são simplificadas pelo toque firme mas leve do volante.

Em estradas sinuosas, o Peugeot 508 PSE tenta sempre catapultar-nos para velocidades mais altas do que o piso tolera. 

No modo Sport, um dos cinco modos de condução alinhado com Hybrid, Electric, Comfort e 4WD, a direcção e a suspensão mais rígidas reflectem o seu temperamento desportivo. 

Para essa sensação contribui a óptima gestão da caixa automática e-EAT de oito relações, que quase faz "esquecer" os 1.850 quilos que o 508 PSE pesa. 

A suspensão, no entanto, consegue filtrar todas as irregularidades sem vacilar, e, nas curvas, sente-se o bom equilíbrio do carro. 

E não há receio de perda de potência quando a capacidade da bateria se esgota. A Peugeot garante que, quando a autonomia diminui, são activados vários sistemas para recarregá-la. 

Certo é que, para quem gosta de carros velozes, com um tacto firme e consumos comedidos, o Peugeot 508 PSE cumpre as expectativas de forma superior. 

Já abertas as encomendas para o nosso país, a berlina é proposta por 68.795 euros, com a carrinha a chegar aos 70.295 euros. 

FICHA TÉCNICA

Motor térmico: 1.6 litros PureTech de quatro cilindros

Cilindrada: 1.598 cc

Potência máxima: 200 cv às 6.000 rpm

Binário máximo: 300 Nm às 3.000 rpm

Motores eléctricos: 81,2 kW (110 cv) e 83 kW (113 cv)

Bateria: 11,8 kWh

Autonomia: até 46 km

Potência combinada: 360 cv

Binário combinado: 520 Nm

Transmissão: automática e-EAT de oito velocidades

Velocidade máxima: 250 km/h

0-100 km/h: 5,2 segundos

Consumo combinado: 2,0 litros/100 km

Emissões CO2: 46 g/km

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Utils/
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.