Pesquisa
Actualidade
Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de kms nas fábricas!
10:41 - 11-01-2018
  14
Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!
Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!
Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!

Os "robots" há muito que tomaram "de assalto" as fábricas de automóveis, mas não são apenas os que vemos nas tarefas de soldar, montar ou pintar. Também no transporte de peças se tornaram fundamentais para fazerem chegar os componentes certos na altura certa ao ponto certo da linha de montagem, nuns "comboios" autónomos que viajam sobre linhas magnéticas desenhadas no piso e com… mil cuidados para evitarem acidentes.

No fundo, quase funcionam como os embriões do que serão os automóveis autónomos (embora "sobre carris"), num ambiente "stressado" e movimentado, onde não só há muitos outros veículos a circular como também têm de cuidar de milhares de trabalhadores com as mais diversas tarefas. A Seat revelou um pouco deste dia-a-dia dos seus "robots" de transporte, os 125 que trabalham diariamente na fábrica de Martorell, próximo de Barcelona, e que são os primeiros a iluminar timidamente a gigantesca fábrica com as suas luzes azuis, a partir das cinco horas da manhã, ainda antes da chegada dos primeiros operários.

Conhecidos pela sigla AGV (Automated Guided Vehicles), aqueles veículos autónomos convivem diariamente com os sete mil trabalhadores da linha de montagem, dando-lhes uma ajuda crucial e permitindo uma redução do tempo de produção em cerca de 25%. São eles que transportam os grandes e pesados componentes até às estações de trabalho em que são montados nos carros, tendo capacidade para suportar peças de peso até 1500 kg.

Conheça os veículos autónomos que fazem milhares de quilómetros nas fábricas!

Primeiro usam um "scanner" para "perceberem" que tipo de peça levam, antes de um sensor lhes abrir a porta do armazém para se deslocarem para o local preciso na linha de montagem. Esta operação é feita 2800 vezes por dia, em "viagens" que podem demorar entre 1 e 7 minutos, transportando motores, caixas de velocidades, amortecedores e outros componentes. No total, todos os dias estes "robots" transportam uma média de 23.800 peças e percorrem anualmente 436 mil quilómetros, distância semelhante à que separa a Terra da Lua!

Pelo caminho, que vão seguindo graças à pré-programação que os leva a rolar sobre as linhas magnéticas colocadas no piso (há 40 rotas distintas), vão tendo todo o cuidado para não embaterem uns nos outros e evitarem atropelar algum trabalhador. Têm ferramentas desenvolvidas para isso, como "scanners" laser e visão a 360º. Além disso, há sempre uma equipa de cinco técnicos que podem configurar ou modificar remotamente os parâmetros dos AGV a partir da sala de controlo, onde um ecrã mostra a posição de cada um deles e o seu estado: uma luz âmbar significa que parou devido a um obstáculo ou por estar a recarregar as baterias.

O próximo passo no desenvolvimento destes porta-cargas autónomos é dispensar as linhas magnéticas no piso, substituindo-as por muito eficazes sistemas de navegação por GPS, quase com precisão milimétrica! Até lá, todos os dias, pelas cinco da manhã, lá aparece a primeira luzinha azul a seguir a linha negra no chão, a levar a primeira peça.

Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
Subscrever Newsletter
pub
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres

×
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login. Caso não esteja registado no site de Aquela Máquina, efectue o seu registo gratuito.