Pesquisa
Preços automóveis novos
Guiámos o novo Nissan X-trail 2.0 dCi
A Nissan renovou o X-trail com um novo motor 2.0 dCi, o que pode ser visto como a resposta às várias críticas que sucederam logo que foi lançado em 2014. Este SUV surgiu como um complemento ao Qashqai, o grande "best-seller" da marca japonesa, que deixou de contar com a opção de sete lugares que propunha na versão "+2".

Esse espaço é agora ocupado pelo X-trail, um modelo com 4,64 metros de comprimento e 2,7 metros de distância entre-eixos que permitiu criar um habitáculo espaçoso, mesmo para sete lugares, e uma bagageira com um volume que vai dos 550 litros (na configuração de cinco lugares) até aos 1 982 litros com a segunda fila de bancos rebatida. Como é evidente, com a lotação completa o porta-bagagens reduz-se bastante (135 litros).

Guiámos o novo Nissan X-trail 2.0 dCi


Com uma carroçaria mais volumosa do que a do Qashqai, o X-trail é naturalmente mais pesado e o motor 1.6 dCi que os dois veículos partilham deixava algo a desejar, sobretudo quando era utilizado para rebocar atrelados que podem ir até às duas toneladas nas versões com caixa de velocidades manual.

A solução passou pelo novo motor 2.0 dCi com 177 cv, que também abre as portas à opção de uma caixa de velocidades automática de variação contínua CVT. Gostámos deste motor. É certo que a potência não é por aí além, mas nota-se bem a diferença numa utilização em auto-estrada e sobretudo em estrada, onde se torna fácil manter ritmos de condução mais elevados. O motor é elástico nos regimes intermédios e não desilude a baixa rotação.

Em termos de custos, esta vantagem significa mais 3 700 euros, a diferença de preço entre os níveis de equipamento Acenta (base) do 1.6 dCi de 130 cv (35 47 €) e do 2.0 dCi (37 670 €) nas versões 4x2. O motor de menos cilindrada apenas está disponível com a caixa manual de seis velocidades, mas a nova proposta pode contar com a caixa CVT por mais 1 500 euros.

As opções 4x4 estão disponíveis e, se dúvidas tivéssemos, voltámos a guiar o modelo em maus caminhos com um piso enlameado e não tivemos quaisquer problemas de tracção nas maiores subidas, nas descidas mais íngremes ou na ultrapassagens de obstáculos.

O sistema All-Mode 4x4-i permite ao condutor seleccionar a tracção às rodas traseiras para reduzir o consumo, optar pelo modo "auto" onde o sistema reparte o binário do motor pelos dois eixos de acordo com as necessidades, ou escolher o modo de bloqueio 4WD nas condições mais desafiantes para garantir uma repartição de 50% da tracção por cada um dos eixos, a uma velocidade até aos 40 km/h.

A opção 4x4 dilata a polivalência do X-trail, mas só está disponível com o nível de equipamento mais elevado (Tekna) e isso em média custa mais 3 500 € do que as versões 4x2 equivalentes. É tudo uma questão de fazer as contas, como dizia o outro...
Faltam 300 caracteres
Comentário enviado com sucesso
PUB
×
Enviar artigo por email

Restam 350 caracteres